#001 criticamos – Rio (2011)

*atenção, esse texto contém spoilers

Saudações culturadoradores e afins, sendo essa a primeira crítica postada no Culturamos, deixo bem claro que não sou formado, nem nunca estudei crítica cinematografica, portanto o que eu disser aqui, vem da MINHA percepção, e opinião em relação aos filmes. Falarei de alguns detalhes técnicos, mas da minha maneira.

RIO tinha tudo para ser um filme perfeito, afinal é a historia de uma Arara Azul, pássaro brasileiro, dirigido por um brasileiro, o Sr. Carlos Saldanha e se passa em um dos mais belos cartões postais do país, o Rio de Janeiro. Mas logo no início do filme uma coisa me incomodou, a maneira como o Brasil foi descrito.

Se eu fosse gringo e visse o filme eu pensaria o seguinte: “- porra, no Brasil só tem samba, futebol e ladrão”, pois o filme começa “estereotipando” o país, com todos os pássaros literalmente “sambando”, e durante varias vezes no filme podemos ver que todos param de fazer o que estão fazendo para assistir o futebol. Tem um momento que o bandido para a perseguição para ver um lance do jogo do Brasil que está passando na TV. Quanto ao ladrão, mostra e de certa forma generaliza que, toda criança quando precisa de dinheiro, recorre a formas ilícitas de ganhá-lo, como o jovem que captura e leva as Araras Blu e Jade para os contrabandistas. Mesmo depois de tentar “consertar” a imagem do garoto, fica aquilo na cabeça. A maldita primeira impressão que fica.

Não digo que esses fatos citados acima não existam, e existem de forma expressiva, mas temos muito mais no RIO que passistas de samba andando semi-nuas nas ruas, fanáticos por futebol e contrabandistas.
É pertinente lembrar da cena em que o segurança, no meio do serviço pára tira a roupa e começa a sambar vestido com uma fantasia de carnaval. Vindo de um diretor brasileiro achei bastante constrangedor.

A historia do filme é simples e sem grandes emoções, sendo que o carisma dos personagens unidos as belezas cariocas carregam o filme nas costas, unidos a uma excelente trilha sonora. Mas, no geral o filme agrada e diverte muito, confesso que ri muito com as tiradas dos amigos cariocas do Blu, e com a nem tão doce Jade, ávida por liberdade.

RIO fica muito aquém de A Era do Gelo, outra produção com a participação de Carlos Saldanha, mas é um bom registro do Rio de Janeiro e de UMA PARTE da nossa cultura.
Vale o ingresso.

NOTA 7,0

Diego Pitta
Cinéfilo Estagiário

One thought on “#001 criticamos – Rio (2011)

  1. Fanzine Episódio Cultural

    COMO PARTICIPAR NAS EDIÇÕES DO EPISÓDIO CULTURAL?
    O Fanzine Episódio Cultural é um jornal bimestral sem fins lucrativos, distribuído gratuitamente no sul de Minas Gerais, São Paulo (capital), Salvador-BA e Rio de Janeiro. Para participar basta enviar um artigo sobre esporte, moda, sociedade, curiosidades, artesanato, artes plásticas, turismo, biografias, livros, curiosidades, folclore, saúde, Teatro, cinema, revistas, fanzines, música, fotografia, mini contos, poemas, etc.
    Contato: Carlos (editor)
    machadocultural@gmail.com
    http://www.fanzineepisodiocultural.blogspot.com
    Facebook: http://www.facebook.com/profile.php?id=1464676950&ref=profile
    VEJA O FANZINE EPISÓDIO CULTURAL NA FEIRA DO LIVRO DE POÇOS DE CALDAS 2011
    http://www.feiradolivropocosdecaldas.com.br/
    GOSTARIA DE DIVULGAR SEUS POEMAS, ARTIGOS, CONTOS, ETC, NO MEU FANZINE EPISÓDIO CULTURAL (Edição impessa)? Envie seus textos e fotos para machadocultural@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *