#002 criticamos – O Turista (2010)

*atenção, esse texto contém spoilers

Esse foi um filme que eu criei uma certa expectativa, afinal juntar Angelina Jolie e Johnny Depp, em Paris e Veneza, um trailer interessante, mas a expectativa me traiu desta vez. O diretor Florian Henckel von Donnersmarck bem que tentou dar um certo ânimo pra essa película, mas infelizmente não foi possível.

O roteiro é fraco, e compromete o filme, que tinha potencial para ser muito bom, mas acaba sendo chato e entediante. A química entre Depp e Jolie praticamente não existe, e a história se perde desde o começo.

O filme inicia com a belíssima Elise (Angelina Jolie) sendo espionada pela policia, enquanto toma um café recebe uma carta vinda de Alexander Peirce, seu namorado/companheiro sumido, personagem que todos estão procurando no filme, inclusive ela, pois o filha da mãe roubou nada mais, nada menos que 2,3 bilhões de euros de Reginald Shaw (Steven Berkoff), um poderoso gangster russo. Toda a trama se passa em torno da busca pelo Alexander Pierce, que envia essa carta para Elise orientando-a a pegar um trem, e nesse trem procurar um cara com o mesmo porte fisico dele, e fazer com que a policia pense que esse cara é ele, deu pra entender?

Ao seguir as intruções, ela entra no trem e se senta junto com um homem com o mesmo porte do tal Alexander, esse cara é Frank Tupelo (Johnny Depp), um simples professor em Winsconsin, que está indo a turismo para Veneza, na Itália.

Olhando a trama dessa maneira, parece bastante interessante, mas na prática deixou a desejar, pois a história corre de uma maneira que, quem assiste não consegue identificar o motivo de tanto corre-corre. Ainda no meio, dessa busca incansável da policia atras de Alexander, temos o inspetor John Acheson (Paul Bettany) que já levou esse caso para o lado pessoal, estando paranóico achando que todos que se aproximam de Elise, é Alexander. Entre tanta paranóia, falta tempo para nós conhecermos melhor os personagens, suas motivações, o que atrapalha totalmente o final do filme. Johnny Depp, não parece à vontade no papel de Frank (nem deveria), e Paul Bettany soa forçado como inspetor John. Jolie é a melhor em cena, junto com Steven Berkoff.

Um dos bons momentos do filme são as cenas em que Frank olha para Elise com aqueles olhos de desejo respeitoso, de quem quer mas não se acha capaz de conseguir. A cena em que Elise beija Frank no intuito de a policia pense que ele é Alexander deixa bem claro que ela já conquistou o coração do inseguro professor de matemática.

Não vou contar o filme todo, mas sei que entre o que parece ser, e o que é, O Turista deixou um grande buraco, que nem toda a beleza de Jolie e o talento de Johnny Depp dão jeito.

É um filme que diverte, e mostra as belezas de Veneza, mas se for assistir, tome um energético antes, pois dá um pouco de sono.

NOTA 6,0

Diego Pitta

Cinéfilo Estagiário

One thought on “#002 criticamos – O Turista (2010)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *